Amo calcinhas enfiadinhas

Com tantos contos de sexo
pesado por aqui, resolvi mandar um diferente, ainda
que dê tanto tesão quanto os demais. Começo
declarando que sou um fetichista - isto é, gosto
de ver garotas em peças intimas, biquinis, maiôs,
lingerie sexy, roupas transparentes, vestidinhos, shortinhos
cavados, sainhas "voantes", por baixo da saia,
tomando banho, trocando de roupa, e com marquinha de
biquini - deu pra sentir o drama.

Não tem coisa
mais alucinante do que ver uma gatinha num momento intimo,
experimentando um novo biquini, ajeitando as alças
e vendo no espelho como fica o bumbum com a peça
toda enfiadinha na bundinha, e cobrindo e descobrindo
os peitinhos. E depois de queimar bastante, ela tirar
a peça para ver a marca que ficou. Pois bem,
vamos a algumas aventuras.

Tive uma namorada que apesar
de ser baixinha, era um tesão de mulher: cinturinha
fininha, bundinha arrebitada e lisinha, coxas grossas,
seios medianos e empinados, rostinho e voz angelicais,
e adorava se mostrar com roupinhas sensuais pois sabia
que era gostosa e mexia com a cabeça dela. Mas
uma coisa me abalava toda vez que a via: ela tinha a
mania de cavar todas as calcinhas que vestia. Podia
estar de calça ou vestido, em casa, no trabalho
ou na rua, ou até menstruada, que eu sabia que
o bicho estava enfiadinho lá dentro. E não
era necessariamente calcinhas pequenas, ela vestia as
médias e grandes, mas todas puxadas pra cima
ao máximo pra que elas entrassem todo atrás.
Mais ainda, ela "combinava" as cores com o
que vestia: um vestido amarelo certamente teria por
dentro um conjuntinho amarelo.

Resultado: isto me deixava
louco da vida toda vez que a via, ficava nervoso, louco
pra ver o que vestia por dentro. E a safada adorava
cultivar uma marquinha de biquini - se queimava por
horas, e quando tirava era como se estivesse vestindo
um biquini branco, sempre usando o mesmo formato só
que de cores diferentes, pra ficar igualzinho. Mas o
biquini, ao contrário das calcinhas, era vestido
do jeito "normal", então as calcinhas
sempre estavam pra dentro da marquinha, o que me deixava
louco! Eu batia punhetas e punhetas por ela, com ela
no banho e eu vendo pelo buraco da fechadura. Depois
ia pro quarto passar creme no corpo todo, e se vestia.
Daí antes de sair do quarto, levantava a camisola
e puxava as alças laterais da calcinha deixando
enfiadinha. No trabalho, sempre ia de salto alto, com
uma saia justa que deixava à vista a silhueta
da calcinha, outra vez o vestido era de tricô,
e dava pra ver até os detalhes da rendinha.

Quando
ela passava a noite em minha casa me deixava constrangido
junto com meus familiares, pois andava de lá
pra cá com uma camisolinha amarela transparente,
deixando à pura vista a calcinha enfiada na bunda,
e sem sutiã. E na parte da frente dava pra se
ver a parte escura dos pentelhos da bucetinha arrepiadinha
e penteadinha. Nem preciso dizer que ela tinha a buceta
mais deliciosa do mundo, que produzia um suquinho que
eu mamava e mamava. Seu cuzinho era apertadinho e fazia
"beicinho" quando era tocado. Sempre que metia,
sentia todas as carnes internas tocar minha glande,
me fazendo gozar rapido, era uma loucura.

Gostaria de
ver mais contos deste tipo aqui, pois sei que tem muita
gente que tem o mesmo gosto que o meu. Não posso
dar o meu e-mail pois é de trabalho, então
mandem pra esta página mesmo!

Marco Polo - Rio de Janeiro