Suruba em família

Sempre tive um tesão imenso pelo que me é
proibido. E pelo que é diferente para essa sociedade hipócrita em que
vivemos. Gosto tanto do "diferente", do "proibido", que já acho
homossexualismo normal. Assim, sempre tive um tesão fudido na minha tia
"velha"(39 anos) e na sua filha, minha prima de 18 anos. Mas nunca
cheguei a tentar nada. Apenas uma vez em que coloquei um calmante bem
forte na bebida da minha tia, para ver se ela desmaiava, e eu poderia
finalmente passar a mão sobre aqueles imensos seios ( não adiantou
muito, o calmante não fez nem cócegas nela). Isso com a minha tia, com
a minha prima era muito mais fácil, ela sentava no meu colo, se alisava
em mim, deitava do meu lado na cama. Tudo na maior inocência. Quero
avisar que era minha tia e minha prima legítima, de 1o grau de
parentesco.


Comecei a trabalhar
no escritório da minha tia, o salário era baixo, eu não ganhava quase
nada, mais o que me mantinha ali era a fantasia de fuder aquela "coroa"
em cima da mesa do escritório. Mas ela sempre me cortava o barato,
nunca me deu muitas chances de nada. Ate que um dia o meu tio viajou em
uma longa viagem, tinha que dar quase a volta ao mundo, ficando fora
por mais de 1 mês. Ela que já estava com raiva dele antes de viajar não
demorou muito para ela ficar cheia de fogo, doida para dar a boceta.
Foi aí que eu comecei a sentir uma maldade na minha tia em relação a
mim.
Ela começou a elogiar minhas pernas, minha bunda, e a alisar as mesmas.
Lógico que não iria passar desapercebido o volume na minha calça quando
ela fazia isso. Mas quando eu começava a ficar mais excitado, ela
parava tudo e voltava a trabalhar.


Com o pretexto de que não queria ficar sozinha em casa, já que ela
estava sozinha com a minha prima, ela me convidou para passar a semana
na casa dela. Na hora do convite minhas fantasias voaram alto, mais no
fundo eu sabia que não ia acontecer nada, só o normal.
Pois bem, fui para a casa da minha tia. E nada. Porem, quando chegou a noite, tudo mudou.


Eu estava deitado no 1o andar de sua cobertura duplex, com a minha
prima. Cada um em seu quarto vendo TV. Começou a passar um filme de
terror, eu mudei de canal, minha prima continuou vendo o filme. Mas
tarde, ela não conseguia dormir, veio para a minha cama alegando que
estava com medo. Foi o pretexto ideal. Fiquei fazendo carinho no seu
pescoço e percebi que ela estava ficando arrepiada. Brinquei com ela,
perguntando por que ela estava assim, ela disse que não sabia, mas que
estava achando bom, mas que estava dando vontade dela ir mijar.


Eu dei um sorrisinho porque sabia que na verdade a pequena xoxota da
minha prima estava era molhadinha de tesão. Expliquei para ela o que
era aquilo ela ficou meio tímida mas começou a perguntar mais e mais
sobre isso. "- Homem também fica molhado assim?" ela perguntou. Eu
disse já sarrando com meu pau duro na sua bundinha: "não, nós ficamos
com o pau duro.". Ela na maior inocência (eu acho)fez uma cara estranha
e perguntou: "’pau duro’, que isso?". Eu peguei a mão dela e coloquei
em cima do meu pau. Ela ficou meio assustada no começo mais depois
segurou firme e ficou olhando para a cabeçona que pulsava firme e
imponente.
Eu ensinei ela a bater uma punheta e ela bateu na hora. Eu pensei que
ia ficar só nisso, mas ela queria mais. Ela se abaixou em baixo do
lençol que cobria a gente e começou a chupar o meu pau. Tentava enfiar
tudo na boca, mais não conseguia. Então ficava só chupando a cabeça, e
lambia, e chupava, e lambia, já me deixando maluco. Gozei mais me
segurei firme para não gozar na boca dela, apesar de que eu acho que
era isso que ela queria.


Ela continuou lambendo, quando eu abri os olhos e vi uma sombra na
parede do quarto. Era ela, minha tia. Apenas olhando. Eu me recompus na
hora e afastei minha prima de mim. Já estava esperando um esporro
fudido, mas ela apenas sentou do meu lado na cama, e começou a alisar o
meu pau, confesso que fiquei assustado com tudo aquilo, afinal de
contas era a filha dela, mais nova ainda por cima. Ela então, alisando
meu pau virou e disse: "eu vi tudo, e vi também que ela não foi forçada
a nada. Então não posso falar nada, apenas aproveitar também.".
Foi só ela dizer isso que meu pau, até então flácido na mão dela, ficou
duro na mesma hora. E ela comecou a beijar a cabeça, a lamber, a dar
pequenas mordidas, chamando minha prima para chupar também. Ela não
queria deixar eu gozar sozinho então deitou-se com a boceta na minha
cara, e eu lambi aquela xota molhada toda, lambi, chupei, brinquei com
seu clitóris, fazendo-a gozar.


Depois que ela gozou, ela saiu de cima de mim, e eu tive uma visão
linda; minha tia estava beijando minha prima, de língua, um beijo de
cinema. Elas se largaram e voltaram a chupar meu pau, revezando-se
entre beijos e lambidas. Não agüentei, e gozei, controlando a
ejaculação.
Minha tia não queria parar por aí. E sentou-se em cima da minha vara
torta, até sumir. Subindo e descendo, rebolando, metendo só a
cabeçinha, rebolando só na cabeçinha. Enquanto que minha priminha vinha
e sentava na minha cara, deixando aquela xoxota novinha para eu chupar.


A titia safada não era egoísta, ela queria que a filhinha tomasse um pouco também.
Minha prima deitou-se na cama e eu deitei-me sobre ela enfiando minha
vara naquela bocetinha novinha. Eu sabia que tinha que meter aos
poucos, pois era virgem, mas minha tia não queria saber de brincadeira.
Enfiou o dedo no meu cú, me fazendo dar um pulo e enfiando minha vara
toda na priminha, que deu um grito e ameaçou chorar, mais foi se
acostumando e relaxou depois.


Eu também comecei a me acostumar com o dedo de minha tia no meu cú. Ela
enfiava o dedo e tirava, fazendo um vai e vem alucinante. Aí a
brincadeira começou a ficar séria, ela foi no quarto ao lado, me
deixando sozinha com a minha prima, que agora implorava para botar ela
de quatro e meter no cuzinho dela. Ela nem precisava implorar tanto. Eu
atendi o seu pedido. Botei ela de quatro escorada na cama, e meti
naquele cuzinho também outrora virgem. Ela teve a mesma reação de
antes, mas gritou mais alto.


Minha tia voltou com um consolo de fazer inveja a qualquer machão, eu
fiquei imaginando o que ela iria fazer com aquilo, mas ela não me deu
nem muita oportunidade de pensar, foi logo passando bastante vaselina e
metendo no meu cú. Agora foi minha vez de gritar. Gritei, e estoquei
mais forte ainda na minha priminha. E ficamos nesse trenzinho
maravilhoso: minha tia me comendo e eu comendo minha prima.


Quando minha tia percebeu que eu ia gozar de novo, sem conseguir
segurar a ejaculação, ela tirou o troço do meu cú e começou a chupar o
meu pau junto com a minha prima. As duas disputavam palmo a palmo cada
centímetro do meu pau. Até eu não conseguir segurar mais e gozar
naquelas duas bocas que engoliram todo o meu jato de porra.
Continuamos nisso a semana inteira , até meu tio chegar de viagem.
Quando ela se mudou para os EUA. Morro de saudades daquelas fodas
loucas de nós três. Mas de vez em quando ela me manda umas fotos dela
fodendo com a minha prima e outro cara via internet.

 

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Linhas e parágrafos quebram automaticamente.

Mais informações sobre opções de formatação

ANTISPAM
Usamos este sistema para evitar spam dentro do Casa da Maite.
14 + 6 =
Resolva a simples operação matemática de soma acima e coloque o resultado. Por exemplo 1+ 3, digite 4