Dei para três travestis

Oi! Já falei da minha iniciação na infância e com animais, da minha primeira chupada e sentada em um pau de homem, da primeira vez que um travesti me comeu de quatro e gozou em minhas costas. Venho agora relatar fatos que aconteceram quando tinha mais ou menos 30 anos. Eu estava namorando com uma menina aqui da cidade, mas havia passado a tarde toda de sábado bebendo, cheirando cocaína e enfiando coisas no meu cú. De noite fomos para uma festa no parque de exposições agropecuárias aqui da cidade.

Chegando lá arranjei um meio de ir embora. Deixei ela em casa e resolvi comprar mais pó. Na volta, já voltei cheirando, passei por um parte da cidade onde ficam muito travestis e me deu vontade e coragem de ser comido de novo. Parei e tinha um negro, perguntei quanto era e ele disse que fazia por R$ 10,00. Mandei ele entrar e fomos para um motel, no caminho abri minha calça e mandei ele chupar. Meu pau como sempre nem subiu. Chegando lá ele foi para o banheiro. Quando saiu, pedi para fazermos um 69, o pau dele estava meio mole mas foi bom pois endurecia quando eu enfiava na garganta. Ele me pegou de papai-mamãe, colocou meus pés em seus ombro e socou fundo, não doeu nem um pouco. Aí veio a primeira surpresa ele me beijou e eu gostei. Enquanto ele me comia me beijava um beijo apaixonado e gostoso. Socou forte e gozou, ele estava sem camisinha.

Meu cú deve ter ficado cheio. Seu nome era Dani e este ficou sendo depois o homem que mais vezes me comeu e bem comido na minha vida, até hoje. Pretendo dar meu cú mais vezes, mas tenho medo. Bom, saímos de lá e deixei-o em outro lugar que ele me pediu. Meu cú ainda coçava e resolvi passar pelo mesmo bairro, quando para minha surpresa, outro travesti deu com a mão. Acertei o programa e fomos para o motel, no caminho ele foi me chupando e meu pau mole. Lá. ele tirou o sutiã de enchimento, ele devia ter 1,65m branco, médio. Já seu pau era grosso, muito parecido com o do meu primeiro travesti. Caí de boca. Aquele líquido saía e eu chupava até secar, punhetava mais um pouco, saía mais e eu chupava. Aí ele me colocou de quatro e meteu.

Começou a bombar com força, mas não agüentei, doía demais. Eu já havia passado a tarde enfiando coisas no cú lubrificando com condicionador de cabelo. Havia acabado de levar uma gozada de outro travesti no cú, devia estar todo melado por dentro e mesmo assim O PAU DELE PARECIA QUE IA ME RASGAR. Parei e pedi para que ele realizasse minha última fantasia. Queria que ele gozasse me minha boca. Ele disse que preferia gozar em meu cú, mas eu disse que tava doendo, então ele tirou a camisinha e ficou de joelhos na cama. Eu me deitei e abri a boca colocando a língua pra fora como minha namorada fazia comigo. Ele batia a punheta e eu colocava a língua molinha pra fora. Não demorou muito e ele começou a gemer. EU ABRI MAIS A BOCA E AÍ VEIO O PRIMEIRO JATO, que nem senti o gosto pois foi direto na minha garganta, pensei em engasgar, mas desceu suavemente goela abaixo. Depois veio outra mais fraca que bateu no céu da boca, engoli e aí sim senti o gosto delicioso de esperma, depois vieram mais algumas mais fracas em minha língua e eu coloquei pra dentro. Apertei seu pau com carinho e chupei a uretra para tirar até a última gota. Ele ficou louco e disse: - VOCÊ É LOUCO MESMO, BEBEU TUDO! Nem perguntei seu nome, mas prometi pra mim mesmo que iria me preparar pra receber aquele cacete grosso em meu cú até ele gozar. Fomos embora e deixei-o no mesmo bairro, quando para minha surpresa outro travesti dá com a mão. Mesmo esquema.

Esse era baixinho, uns 1,60m e estava com a barba um pouco grande, pois me arranhou um pouco. Esse não teve muita conversa não, mal chegamos e ele botou o pau pra fora e chupei gostoso. Seu pau era o menor da noite. Fino, mas duro, parecia uma cobra rápida. Depois que o chupei ele me colocou de quatro rapidamente e enfiou com uma velocidade incrível. Também meu cú devia parecer uma bacia. Ele me colocou na posição papai-mamãe e me fudeu. Aí veio a vontade de beber mais esperma, mas quando eu pedi pra ele gozar na minha boca ele gemeu e gozou. Ele estava sem camisinha. AGORA O ESPERMA DE DOIS TRAVESTIS ESTAVAM NADANDO EM MEU CÚ E LOGO SE ENCONTRARIAM COM O ESPERMA QUE EU HAVIA ENGOLIDO DO OUTRO. Aquilo me excitava. Deixei o travesti no bairro e ainda passei olhando para ver se via mais outro, mas pelo horário não havia mais nenhum. Voltei pra casa e bati umas duas punhetas gostosas.

Não tomei banho, quis dormir com aqueles espermas em meu cú. No outro dia quando sentei no vaso saiu aquele líquido transparente e viscoso de dentro do meu cú. Fiquei muito feliz. Da próxima vez contarei transas rápidas com outros travestis e o meu caso com o travesti Dani.

alias.sex@ig.com.br